Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Abertura.
Índice do Canal.
Assista On Line a TV Net Babillons
Assista On Line a TV Net Babillons

Vale do São Francisco dobra exportação de frutas

Produção anual na região passa de um milhão de toneladas e gera 240 mil empregos diretos. Cerca de 70% das frutas exportadas no Brasil vão para o mercado europeu.
Cerca de 70% das frutas exportadas no Brasil vão direto para mercado europeu, segundo dados do Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf). Os dados revelam ainda que o Vale do São Francisco (Bahia e Pernambuco) representa nada menos que 99% dos embarques totais de uva e 87% dos de manga do país.
Nos 120 mil hectares irrigados, são gerados 240 mil empregos diretos, com produção anual de mais de um milhão de toneladas de frutas, com destaque para uva (12 mil hectares) e manga (23 mil hectares), além de culturas como acerola, goiaba, coco verde, melão, melancia, banana, maracujá, entres outras.
Segundo informações do diretor comercial e produtor da Associação Manga Brasil, Antonio Nogueira, em 2008, a região exportou para Europa, por meio do Comércio Justo (Fair Trade), dez contêineres de manga, totalizando 220 toneladas. "Praticamente conseguimos dobrar a quantidade exportada em relação a 2007. E a nossa expectativa é que esse ano aumente ainda mais esses números", ressaltou.
Outra associação de pequenos produtores do município de Juazeiro que também exportou em 2008 para a Europa foi a Aproac – Associação dos Produtores Orgânicos da Região da Adutora da Caraíba, graças ao selo de certificação orgânico. Mais de 150 toneladas de manga orgânica foram enviadas para o mercado europeu, em uma parceria com uma empresa exportadora da região.
De acordo com o gestor do Sebrae, Rinaldo Moraes, não só os pequenos produtores de frutas in natura tiveram bons resultados nas exportações no ano passado. Ele informou que os produtores da Coopercuc (Cooperativa de Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá), que fabricam doces e compotas de frutas nativas, venderam para Áustria e Itália R$ 34.770 em produtos.
"Em novembro a Coopercuc e as 13 mini-fábricas e propriedades rurais ligadas à cooperativa, com o apoio do Sebrae e Irpaa, receberam a certificação com selo orgânico. Com isso, irá permitir uma melhor distribuição e exportação dos seus produtos, que já são de excelente qualidade para o mercado externo, principalmente Europa, e também para o mercado interno” , finalizou Moraes. (Agência Sabrae)
Fonte: ANBA - Agência Nacional Brasil Árabe.
28/01/2009