Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Abertura.
Índice do Canal.
Assista On Line a TV Net Babillons
Assista On Line a TV Net Babillons

Brasil e Índia realizam primeira reunião de Comércio Bilateral

Depois de dois anos de déficit comercial com a Índia, representantes do governo brasileiro estão em Nova Déli, capital do país, nesta terça-feira (3/2), para participar da primeira reunião da comissão bilateral de monitoramento do comércio Brasil-Índia, na tentativa de aumentar o intercâmbio comercial.
Em 2008, as transações comerciais entre os dois países foram deficitárias em US$ 2,461 bilhões para o Brasil, valor que superou o saldo negativo de 2007 - US$ 1,211 bilhão. A delegação brasileira é coordenada pelo secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ivan Ramalho.
Em 2008, as exportações brasileiras para a Índia somaram US$ 1,102 bilhão, valor 15,1% acima do registrado em 2007 - US$ 957,9 milhões. Os produtos industrializados responderam por 66,4% da pauta exportadora e os básicos, por 33,6%. Frente a 2007, cresceram as exportações de todas as categorias de produtos: básicos (+5,3%), semimanufaturados (+6,4%) e manufaturados (+34%). Ano passado, a Índia ocupou 40ª posição entre os mercados de destino de produtos brasileiros, quatro colocações abaixo de 2007 (36ª).
Com relação às importações brasileiras de produtos indianos, houve aumento de 64,3%, na comparação 2008/2007, passando de US$ 2,169 bilhões para US$ 3,564 bilhões. Com isso, a participação indiana na pauta total das importações brasileiras passou de 1,80% para 2,06%, na mesma comparação. Na importação, o país foi o 11º fornecedor de produtos ao Brasil, três acima da ocupada em 2007 (14ª).
As importações brasileiras de produtos da Índia, em 2008, foram compostas por 95,8% de produtos industrializados e 4,2% de básicos. Em relação ao ano anterior, todas as categorias de produtos registraram crescimentos: básicos (+395,5%), semimanufaturados (+126,7%) e manufaturados (+59,3%).
Oportunidades
Levantamento da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do MDIC mostra que, pelo cruzamento de pauta, há possibilidades de ampliação de vendas por parte do Brasil, tanto de produtos agrícolas quanto de bens industrializados, como exemplo, petróleo e derivados, aparelhos transmissores e receptores, bens de informática, químicos, hulhas, minério de cobre, aparelhos elétricos para telefonia, óleo de soja, laminados planos, equipamentos para terraplanagem, carne bovina, laticínios, café, soja em grão e farelo, ração animal, milho, camarão e peixes congelados, algodão, fumo, produtos de confeitaria, cacau e suas preparações e sucos de frutas, dentre outros.
O mesmo estudo mostra que, para os indianos, há possibilidade de aumentar a venda para o Brasil de óleos combustíveis, jóias, medicamentos e antibióticos, arroz, autopeças, automóveis, tecidos sintéticos, inseticidas e herbicidas, polímeros de etileno, pneumáticos, bens de informática, fios de cobre, resinas plásticas, motores de veículos e suas partes, pneumáticos, matérias corantes, torneiras e válvulas, sumos e extratos vegetais, lâmpadas e válvulas, máquinas e equipamentos, parafusos, transistores, obras de plásticos e ferro-ligas.
Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.
03/02/2009