Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Abertura.
Índice do Canal.
Assista On Line a TV Net Babillons
Assista On Line a TV Net Babillons

Indústria de implementos rodoviários cresceu 26%

A produção brasileira do setor chegou a 138.379 unidades em 2008. As exportações cresceram 2,45% no período e ficaram em 7,23 mil veículos.
A indústria de implementos rodoviários de carga - reboques, semirreboques, bitrens, rodotrens e carroçarias sobre chassis - encerrou o ano de 2008 com uma produção de 138.379 unidades, registrando aumento de 25,65% sobre 2007.
O setor responde por cerca de 54 mil empregos diretos e indiretos e apurou faturamento de R$ 6 bilhões, ante R$ 3,5 bilhões obtidos no exercício anterior, considerando-se as vendas de equipamentos completos e peças. “Não fosse o desaquecimento do mercado sentido a partir do mês de outubro de 2008, em função da crise mundial, o resultado financeiro do segmento poderia ser maior”, diz Rafael Wolf Campos, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (Anfir), segundo nota da entidade.
Segundo Mário Rinaldi, diretor-executivo da Anfir, da produção total registrada em 2008, o mercado interno absorveu 131.149 unidades e as exportações responderam por 7.230 unidades, aumento de 2,45% em comparação com 2007. “Distribuição parecida com a registrada no ano anterior”, diz, sempre de acordo com a nota.
Para o diretor, um dos fatores que interferiram positivamente no desempenho do setor em 2008 foi o bom comportamento do agronegócio. A safra de grãos 2007/2008 apresentou volume recorde e atingiu 143,8 milhões de toneladas. Até a metade do ano passado, o preço das commodities ajudou os produtores brasileiros a se capitalizarem e realizarem investimentos.
O aumento no consumo de combustíveis, a elevação nas exportações de álcool, mudanças na legislação e a maior utilização do transporte rodoviário na logística do transporte de biodiesel e álcool foram os principais responsáveis pelo aumento nas vendas de tanques de aço carbono e alumínio.
Reflexos da crise
De acordo com a diretoria da Anfir, a exemplo de outros setores da economia brasileira, a crise econômica mundial começou a influir negativamente no segmento de implementos rodoviários a partir de outubro do ano passado, quando a produção registrou queda de 2,21% sobre setembro. Em novembro, o desaquecimento do mercado de caminhões fez com que a indústria registrasse uma perda bem mais significativa, sendo de 20,46% no segmento de reboques e semirreboques e de 22,01% em carroçarias sobre chassis.
Segundo Campos, o segmento de implementos rodoviários vive um momento difícil. As principais associadas já anunciaram redução da jornada de trabalho e salário para conter demissões. As vendas de reboques e semirreboques no mês de janeiro deste ano alcançaram 2.238 unidades, o que representou uma queda de 26,7% quando comparadas às 3.053 unidades de dezembro, e 34,58% menos ante os 3.421 implementos emplacados no mesmo mês em 2008.
No caso das carroçarias sobre chassis, o setor registrou o emplacamento de 4.031 unidades em janeiro de 2009, um volume 21,10% abaixo das 5.109 unidades emplacadas em igual mês do ano passado e queda de 25,32% sobre os 5.398 implementos licenciados em dezembro de 2008. “A queda no preço das commodities agrícolas e a escassez de crédito, somados á retração da demanda devido à crise internacional, fizeram com que a procura por implementos rodoviários sofresse retração nos últimos quatro meses. Considerando a situação atual do mercado, os empresários do setor acreditam que o cenário mais provável para o ano de 2009 é ficar muito próximo aos números realizados em 2007”, conclui o presidente.
Fonte: ANBA - Agência de Notícias Brasil Árabe.
13/02/2009