Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Abertura.
Índice do Canal.
Assista On Line a TV Net Babillons
Assista On Line a TV Net Babillons

Exportação aos árabes cresce 15%

Vendas do Brasil ao Oriente Médio e Norte da África renderam US$ 716 milhões em abril. No acumulado do ano o total chegou a US$ 2,55 bilhões, um aumento de 7% sobre o mesmo período de 2008.
As exportações do Brasil aos países árabes renderam US$ 716 milhões em abril, um aumento de 15% em comparação com o mesmo mês de 2008. No acumulado de 2009, os embarques somaram US$ 2,55 bilhões, uma ampliação de 7% em relação aos primeiros quatro meses do ano passado, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pela Câmara de Comércio Árabe Brasileira.
Abril foi o segundo mês consecutivo de crescimento de dois dígitos, após dois meses de queda nas vendas em janeiro e fevereiro. Já as importações de produtos árabes recuaram em 50,7% em abril e em 62% no acumulado do ano, ficando em US$ 369 milhões e US$ 1,1 bilhão, respectivamente.
“Em função da queda no preço e da redução das importações de petróleo, por causa do aumento da produção da Petrobras, o Brasil está mantendo um superávit comercial grande com os países árabes este ano”, disse o presidente da Câmara Árabe, Salim Taufic Schahin. O petróleo e seus derivados são de longe os principais produtos comercializados pelos árabes no mercado brasileiro.
Em sua avaliação, o crescimento das vendas ao Oriente Médio e Norte de África deverá se manter em dois dígitos durante o ano, com ampliação também do saldo comercial, a não ser que o petróleo valorize muito nos próximos meses.
Os principais destinos dos produtos brasileiros nos quatro primeiros meses de 2009 foram Arábia Saudita, Egito, Emirados Árabes Unidos, Argélia e Marrocos. Houve ampliação expressiva dos embarques para alguns dos mercados mais consolidados, como o Egito, para onde as exportações cresceram 59% e chegaram a US$ 449 milhões; a Argélia, com US$ 199 milhões, um aumento de 28%; e o Marrocos, com US$ 191,5 milhões, 37% a mais.
Outros destinos que apresentaram crescimento acima da média foram o Bahrein (17%), Iêmen (49%), Iraque (82%), Líbano (39%), Mauritânia (148%) e Sudão (94%).
Entre os produtos mais comercializados no período, Schahin destacou os aviões, cujas vendas para a região somaram US$ 129 milhões, um aumento 49% sobre os primeiros quatro meses de 2008. “A Embraer tem feito muito sucesso por lá”, ressaltou.
As principais mercadorias embarcadas de janeiro a abril foram carnes de frango e bovina, açúcar, minério de ferro, aviões, milho, semimanufaturados de ferro e aço, material elétrico, máquinas, veículos e peças, soja, café, óleo de soja, conservas, fumo e farelo de soja.
Na seara do agronegócio, apesar de uma redução de 17% na receita de exportação de carnes, por causa da queda do preço no mercado internacional, houve aumento significativo nos embarques de açúcar, milho e dos três produtos do complexo soja (grãos, óleo e farelo). “O Brasil é muito competitivo nessa área, temos preço e quantidade para exportar”, disse Schahin. “Demonstração disso é que há interesse dos árabes em investir na agropecuária brasileira para abastecer seus próprios mercados e exportar para terceiros”, acrescentou.
Apesar da redução das importações de produtos árabes, vale ressaltar o desempenho de algumas mercadorias, como plásticos, cujas compras tiveram aumento de 124%, e pescados, com um crescimento de 54%. (Alexandre Rocha)
Fonte: ANBA - Agência Nacional Brasil Árabe.
13/05/2009