Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Abertura.
Índice do Canal.
Assista On Line a TV Net Babillons
Assista On Line a TV Net Babillons

Exportações brasileiras em agosto cresceram mais para EUA e Oriente Médio

As exportações brasileiras foram mais bem divididas no mês de agosto, espalhando-se para todos os blocos econômicos, de acordo com o secretário de Comércio Exterior, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Welber Barral.
Ele disse que comparado ao mês de julho, “tivemos retomada de exportações para alguns países”; especialmente para países do Oriente Médio (+29%), dos Estados Unidos (+27,7%) e da Argentina (+16%). As excessões foram os países da Europa Oriental que compraram 19,3% menos, e da África, que absorveram 9,1% menos produtos brasileiros.
No caso dos Estados Unidos, especificamente, que apresenta a maior redução de compras do Brasil ao longo do ano, estimadas em -45,1%, Welber Barral acredita que a retomada “é uma decorrência da recuperação da economia norte-americana”, que foi a mais afetada pela crise financeira mundial, que se deteriorou a partir de setembro do ano passado.
Em contrapartida, o Brasil também importou mais dos diferentes blocos comerciais, com exceção da África, uma vez que as maiores compras brasileiras daquele continente são de petróleo bruto, e essa importação tem se reduzido gradativamente, em razão do crescente volume de extração do produto pela Petrobras.
De acordo com números da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), as exportações brasileiras somaram US$ 13,841 bilhões em agosto, com retração de 7,2% em relação ao mês anterior e queda de 29,9% na comparação com agosto de 2008. As importações, no valor de US$ 10,767 bilhões, caíram 5,1% em relação a julho e tiveram retração de 38,3% comparado ao mesmo mês do ano passado.
A diferença entre exportações e importações resultou em um saldo comercial de US$ 3,074 bilhões no mês de agosto, com crescimento de 5,02% sobre o saldo do mês anterior e de 33,7% em relação ao saldo de agosto de 2008. Foi o terceiro melhor saldo comercial mensal deste ano, que contabilizou US$ 4,622 bilhões em junho e US$ 3,705 bilhões em abril.
No acumulado de 166 dias úteis de 2009, de janeiro a agosto, a Secex registrou vendas externas no valor de US$ 97,935 bilhões, ou US$ 32,907 (25,15%) menos que os US$ 130,842 bilhões obtidos em 167 dias úteis em igual período do ano passado. O Brasil também comprou menos produtos estrangeiros neste ano, no valor de US$ 77,967 bilhões, com redução de US$ 35,947 bilhões (31,55%) comparado aos US$ 113,914 bilhões gastos de janeiro a agosto de 2008.
Apesar do menor fluxo de comércio corrente (entradas e saídas), a diferença tem sido favorável à balança comercial brasileira, na comparação com outros países, porque o Brasil exporta mais commodities (produtos básicos com cotação internacional, principalmente alimentos agrícolas e minérios em bruto), cujos preços estão em recuperação, de acordo com Barral. (Stênio Ribeiro)
Fonte:Agência Brasil.
01/09/2009