Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Abertura.
Índice do Canal.
Assista On Line a TV Net Babillons
Assista On Line a TV Net Babillons

Câmara quer atrair investimentos ao Brasil

O presidente da Câmara Árabe, Salim Schahin, disse hoje que a entidade trabalha para ampliar o interesse de investidores do Oriente Médio no país, especialmente na área de infraestrutura.
O presidente da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Salim Taufic Schahin, disse nesta quinta-feira (10), durante almoço com jornalistas, que a entidade está empenhada em atrair investidores árabes ao Brasil. “Queremos trazer investimentos para a área de infraestrutura aqui”, afirmou.
Schahin ressaltou que o ramo de construção passa por um “boom” no país e a economia nacional segue no rumo do crescimento sustentado. “A demanda por engenheiros hoje no Brasil é extraordinária”, declarou ele, que é engenheiro e sócio de uma construtora.
Ele acrescentou que está organizando um encontro do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, com os embaixadores dos países árabes em Brasília, com o objetivo de falar sobre oportunidades de investimentos no Brasil.
Schahin destacou que o Brasil se recuperou rapidamente da crise financeira internacional e as nações árabes, em geral, foram pouco afetadas por ela, o que permite buscar o aumento das relações econômicas.
Ele citou a grande quantidade de obras de infraestrutura em andamento também no mundo árabe, muitas com participação de empresas brasileiras como Odebrecht, Andrade Gutierrez e Queiroz Galvão. “Tem crescido bastante a exportação de serviços”, disse.
Na seara comercial, porém, Schahin acredita que o ano vai terminar com uma queda de cerca de 4% nas exportações brasileiras para a região, após vários anos de crescimento ininterrupto.
Ele ressaltou, no entanto, que as vendas do mundo árabe ao Brasil caíram fortemente por causa da redução da demanda e do preço do petróleo, o que vai resultar num forte superávit para o lado brasileiro na balança de comércio.
O vice-presidente de Marketing da Câmara Árabe, Rubens Hannun, acrescentou que o Brasil começa a ser visto no mundo árabe como fornecedor de produtos de grande valor agregado e de qualidade, não só como exportador de commodities. “A gente percebe isso nas feiras e missões que participamos”, declarou.
Hannun disse que a Câmara e muitas empresas brasileiras têm trabalhado de forma continuada na região, e os árabes dão muito valor a isso. O professor Helmi Nasr, vice-presidente de Relações Internacionais da entidade, também participou do encontro com os jornalistas.
Schahin falou sobre ações da entidade, como a criação de dois comitês voltados para cultura e turismo, que têm como função promover iniciativas nessas áreas. Ele tem especial interesse em ampliar o fluxo bilateral de turistas e o intercâmbio cultural, até com a criação de uma Casa da Cultura Árabe em São Paulo.
Schahin disse ainda que a Câmara prepara para 2010 a realização de pelo menos dois seminários sobre o Brasil no mundo árabe. A entidade terá, como todos os anos, um extenso calendário de feiras e missões comerciais, ainda a ser divulgado.(Alexandre Rocha)
Fonte:ANBA - Agência Nacional Brasil Árabe.
11/12/2009