Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Abertura.
Índice do Canal.
Assista On Line a TV Net Babillons
Assista On Line a TV Net Babillons

Sauditas buscam terras no Brasil

Os empresários da Arábia Saudita estão interessados na aquisição de terras no Brasil e na formação de joint-ventures com empresas nacionais para a produção de alimentos. A afirmação é do secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pecuária (Mapa), Gerardo Fontelles, que participou nesta quarta-feira (6) de encontro com o ministro da Agricultura saudita, Fahad Abdulrahman Bal Ghunaim, em São Paulo.
O encontro foi a última atividade oficial da delegação saudita no Brasil. Composta por empresários e membros do governo, a missão está no país desde segunda-feira (4) para discutir investimentos no agronegócio e o aumento da importação de alimentos brasileiros. A reunião desta quarta-feira teve a participação de representantes do Mapa; do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e do Ministério das Relações Exteriores.
De acordo com Fontelles, o principal ponto abordado pelos sauditas foi a garantia de segurança para os investimentos que possam ser feitos no Brasil. “Nós colocamos isso com bastante clareza, que não há instabilidade institucional no Brasil e que a nossa legislação dá toda a segurança para os investidores”, disse em entrevista à ANBA.
Ghunaim também apontou a estabilidade do Brasil como fator de grande relevância para o avanço das negociações. “Sabemos que o Brasil é muito transparente com os investimentos estrangeiros diretos. Todas as regras são muito claras e isso é muito importante”, destacou.
Durante o evento, o governo saudita mostrou preocupação com a possibilidade de bitributação dos investimentos e disse que enviará uma proposta para o governo brasileiro para tratar do assunto.
“Em geral, a Arábia Saudita tem um tipo de acordo formal para negociar com outros países. Nossos ministérios das Finanças (brasileiro e saudita) irão conversar para assegurar que, se a Arábia Saudita cobrar impostos, o Brasil não cobre, e vice-versa, de modo que não haja bitributação”, esclareceu Ghunaim.
O encontro tratou ainda de outras questões técnicas como protocolo para exportação de animais vivos, a produção de alimentos transgênicos e a valorização cambial da moeda brasileira.
Segundo Fontelles, as conversas iniciadas no Brasil terão continuidade em dezembro, quando o MDIC enviará uma missão de empresários brasileiros à Arábia Saudita, liderada pelo ministro Miguel Jorge. (Aurea Santos)
Fonte: ANBA.
06/10/2010