Abertura.
Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.

Um novo estilo no Brasil
Produção GMG.
Paulo Lima, André Veiga, Marcos Teixeira e Gilson Santos da Banda PLAM na redação do
Portal Net Babillons

Banda PLAM

Banda PLAM

André Veiga - Baixo e Voz;
Gilson Santos - Guitarra Solo e Voz;
Marcos Teixeira - Bateria e Voz;
Paulo Lima - Guitarra Base e Voz.
Este são os integrantes da Banda PLAM, que instituiram o estilo Beach Reggae, um apimentado do reggae, ska e pop. Esta receita de musicalidade está mexendo com a cabeça da rapaziada. A banda existe desde 1998, seus integrantes são amigos, músicos, que resolveram reunir suas potencialidades e a banda aconteceu.

Net Babillons:
A Banda PLAM existe há quanto tempo ?
Marcos:
A PLAM existe desde o final de 1998 quando eu, André, Paulo e Luciano, que hoje não está mais na banda, resolvemos como hobbie iniciar uma banda, nos reuníamos periódicamente na casa do André e tocávamos alguns covers de ídolos nossos, sem a
preocupação de tocar em lugar algum. No início de 99 surgiu um convite para tocarmos na boate do Clube Náutico Cruzeiro do Sul, em São Francisco do Sul-SC, surgiu então a necessidade de dar um nome para a banda, resolvemos juntar as iniciais dos integrantes da Banda e assim saiu o nome, Paulo, Luciano, André e Marcos, formando PLAM.

Net Babillons:
Qual o estilo da Banda PLAM ?
André:
É um estilo que nós instituímos, o Beach Reggae, criamos este estilo totalmente PLAM, considerando que somos nativos da Ilha de São Francisco do Sul em Santa Catarina. Estamos rodeados de mar e praias e o pôr do sol, o crepúsculo, a natureza que mexem com a gente, isto nos traz muitas influências para criar as composições; assim nasceu o nosso estilo.

Net Babillons:
Para o ano 2001, já existe agenda de shows da Banda PLAM ?
Gilson:
A banda, a partir do ano 2001, vai entrar numa turnê para divulgação do cd, por todo o Brasil, provavelmente teremos participação em programas de televisão. Estamos abertos para adicionar em nossa agenda shows internos e externos, dentro e fora do país.

Net Babillons:
Existe um projeto de um super clip da Banda PLAM ?
Paulo:
Sim, a GMG -Agência de Publicidade e Produtora, está investindo na Banda, acreditando em nossas potencialidades e isso é incrível, é maravilhoso!

Net Babillons:
Como é o relacionamento dos integrantes da Banda PLAM ?
Marcos:
O relacionamento é bom, nós estamos tranquilos até hoje, mas se analizarmos detalhes, a personalidade de cada indivíduo, as individualidades, dois de nós são casados e os outros solteiros,às vezes, somos obrigados a brigar para traçar os caminhos corretos da banda. É como em um casamento, se estiver na pasmaceira, tudo muito tranquilo, já se pode começar a desconfiar que algo sério está acontecendo, se não houver brigas e discussões construtivas, não há como evoluir o relacionamento.

Net Babillons:
Como está sendo a aceitação do primeiro CD da Banda PLAM?
André:
O que podemos observar é que graças ao trabalho das rádios, como a Transamérica e outras, o público em geral já começa a cantar as nossas músicas e isso é muito gratificante, considerando que é o nosso primeiro cd.

Net Babillons:
Sabe-se que os integrantes da Banda curtem a natureza, como é isso realmente ?
Gilson:
Isso já é expontâneo nos integrantes, pois cada um já pratica um tipo de esporte: montanhismo, alpinismo, paraquedismo, mergulho, isso despertou a mentalidade para preservar o meio ambiente e a natureza.

Net Babillons:
Como você vê a juventude e as drogas ?
Paulo:
Provindo das décadas de 60, 70 e até o final da década de 80 os jovens acreditavam que a droga libertava e levava a euforia. Hoje em dia, com as campanhas de massa contra as drogas na mídia, o jovem evoluiu. A droga está por fora, droga a palavra já está dizendo, é algo que não presta. Por exemplo, hoje os jovens fazem coisas muito mais interessantes do que se drogarem: assistir um show, praticar esportes, iniciar uma profissão, ser participativo na sociedade, estudar muito para uma especialização, assistir um jogo de futebol, namorar, ir à praia. As heranças da droga são perder a família, ser excluído da sociedade, pelos amigos. Acredito que o jovem de hoje, de maneira geral está mais atento.

Net Babillons:
A Banda PLAM surgiu para seguir carreira ou viver um hobbie, como é isso ?
Marcos:
A Banda PLAM surgiu com quatro integrantes, como hobbie. Quando o Luciano resolveu desligar-se, procuramos outro guitarrista, então entrou o Gilson e criou-se uma mentalidade nova, ele trouxe muitas composições atuais e até dos anos 80, o Paulo também resolveu compor, inclusive resolvemos parar de tocar cover, lapidamos as composições do Gilson e do Paulo, agregamos valores as composições. A partir daí mudou a mentalidade do grupo, dos ensaios, começamos a pensar profissionalmente, resolvemos gravar um cd, abrimos mão de nossa vida cotidiana e nos integramos com a profissionalização da banda.

Net Babillons:
Aonde a Banda PLAM pretende chegar ?
André:
Muito longe, dentro do seu coração, dentro do coração de todas as pessoas que estão conhecendo nosso trabalho agora, daquelas que já conhecem e daquelas que ainda vão conhecer. Queremos chegar além do que a gente possa imaginar, trilhando sempre o caminho da Paz, Liberdade, Amor e Música.

Net Babillons:
Como nascem as letras e músicas da Banda ?
Gilson:
Em algumas das composições são desenvolvidos projetos com temas próprios, estas são mais demoradas por serem mais elaboradas; mas a grande maioria nasce quando estou inspirado, que lembro de coisas que aconteceram no passado.

Net Babillons:
A inspiração da Banda PLAM foi fundamentada em alguma outra ?
Paulo:
Não, nós temos muitas influências, mas não nos fundamentalizamos em outras bandas. Nós gostamos de reggae de praia, então criamos o estilo Beach Reggae, mas em meio a tudo isso, tocamos também o rock e o pop.

Net Babillons:
Existe um padrão alimentar que vocês seguem para dar suporte para a voz e a performance física ?
Gilson:
Principalmente agora que estamos num pique muito acelerado, shows, viagens, ensaios, tudo isso nos fez mudar o comportamento alimentar. Cortamos os excessos, estamos resguardando muito mais a voz. Nossa alimentação é mais energética do que calórica, isso tem nos dado maiores reservas.

Net Babillons:
A Banda PLAM segue alguma linha de pensamento ?
André:
Dentro de nossas composições costumamos enfocar temas positivos, como o próprio nome da banda diz PLAM é Paz, Liberdade, Amor e Música. E o nosso desejo é que tudo isso se transforme em realidade, faça parte das pessoas, das famílias, do convívio do dia a dia.

Net Babillons:
Paulo como é ser artísta e ter negócios num mundo normal paralelo ?
Paulo:
Sou casado, tenho uma empresa, não é fácil administrar tudo isso; mas com um pouco de paciência, carinho, amor e dedicação consigo administrar.

Net Babillons:
Gilson como é administrar ser professor e artista ?
Gilson:

Os novos métodos de trabalhar em salas de aula, nos dão uma certa condição de familiaridade com o artista, pois a dinâmica do professor de hoje em dia nos aproxima desta nova profissão.

Net Babillons:
André ser empresário do ramo marítimo complica a vida do artísta ?
André:

São coisas diferentes, mas que cabem juntas; quando estou num show ou mesmo no estúdio ensaiando é que eu tenho certeza que é possível administrar essas duas coisas. Contudo, dia a dia vamos criando uma estrutura de adequações, só assim pode-se ter a certeza de que tudo vai dar certo. Abro uma consideração para o meu lado de empresário, pois isso de certa forma facilitou mais o lado artístico.

Net Babillons:
Marcos, como o consultor de marketing convive com o artista ?
Marcos:

É uma área profissional que está muito ligada a parte artística, todo artista precisa de produção, de suporte, de mídia. Existe o fato de termos que nos dedicar a duas profissões, considerando que podem ser dois extremos que se aproximam por experiências e conhecimento profissional.

Net Babillons:
Atualmente quem esta patrocinando ou apoiando a Banda PLAM ?
Marcos:
Graças a Deus estamos vendendo bem com o apoio dos amigos, familiares e empresários, sabemos que todo o início é dificultoso. Estamos sendo apoiados por rádios como a Transamérica, a rádio UDESC Educativa que nos chamou para uma entrevista, a Rádio Difusora de São Francisco do Sul, temos o apoio da GMG- agência de publicidade e produtora, as empresas nas quais trabalhamos tem nos dado expressivo apoio: a Elo, a Compass, a Feedback, o Colégio Francisquense. A nossa integração só é possível no momento, pela maleabilidade do corpo empresarial aos quais pertencemos. O primeiro cd contou com forte apoio econômico do André, que investiu na banda por acreditar no grupo.

Net Babillons:
É verdade que existem duas super gravadoras interessadas no trabalho da Banda ?
André:
Realmente existem duas grandes gravadores interessadas em nosso trabalho, mas por enquanto é uma paquera, um namoro. A PLAM está aberta para contatos, porque ela tem muito a crescer.

 

Editada em 28 de Dezembro de 2000.

Página de aberturaÍndice de notícias.
Índice do Canal.