Abertura
Conheça a GMG.
Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Índice do Canal.
Roberto Böell Vaz
Expedicionário de Aventura In Solo e Engenheiro

Perfil

Roberto Böell Vaz, Pernambucano de Recife desde a mais tenra idade está com domicílio em Santa Catarina, morando em Florianópolis.
Expedicionário de Aventura In Solo desde muito jovem, tem formação acadêmica em dois Cursos Superiores, Engenharia e Educação Física, tem bom senso prático, é curioso, especutalivo e analisa muito bem tudo o que faz.
Esse atleta florianopolitano, de coração, já fez duas grandes travessias intercontinentais uma de fusca e outra de kombi, tudo isso está registrado em seus dois livros editados e tem muitas histórias de suas rotas.
Engajado nesse sistema de aventuras estão os seus novos propósitos, para cada Expedição um projeto a desenvolver, Roberto buscará informações e pesquisas sobre assuntos curiosos e científicos. Isso faz com que o seu objetivo de aventura seja multiuso, facetado de conteúdo diverso dos lugares a serem explorados.
Roberto é solteiro e atualmente atua também como Engenheiro contratado; um de seus desejos é intensificar o seu Sistems de Palestras Motivacionais para jovens e empresários.
No momento Roberto está fortalecendo a musculatura, para um melhor condicionamento físico tudo isso para a próxima Expedição rumo ao extremo Sul das Américas passando pela Terra do Fogo, Ushuaia e a Região do Glacial Perito Moreno.


Entrevista

Foto: GMG
O Diretor do Portal NetBabillons, Eros Damiam Pereira entrevista o Engenheiro e Expedicionário Roberto Böell Vaz. Em pleno dia de treinamento do aventureiro nossa equipe seguiu junto para ver de perto seu trabalho e conhecer melhor suas histórias.


Portal NetBabillons
Como é ser e estar Expedicionário Internacional de Aventuras In-Solo?
Roberto Vaz

Oh Eros, eu acho que o certo é dizer estar, quando se está em uma aventura você está aberto às experiências, que essas aventura ou ao que essas aventuras irão lhe proporcionar. Então, eu acho que é estar aberto a um novo aprendizado, a uma nova forma de enxergar a vida.

Portal NetBabillons
Roberto quando iniciou esse gosto por aventuras?
Roberto Vaz

Olha desde criança eu já tive uma vida recheada de aventuras. Eu nasci em Recife/Pernambuco, fui morar em São Paulo Capital, depois voltei à terra dos meus antepassados em Santa Catarina. Que dizer que desde a minha tenra infância eu já viajava por esse Brasilzão que é praticamente um Continente. Mais tarde, na minha adolescência assistindo documentários, filmes, participando de jogos eu criei esse gosto por estar e querer conhecer locais diferentes não só no Brasil, mas no Mundo. Hoje, eu me sinto um Cidadão do Mundo.

Portal NetBabillons
Fale um pouco sobre as dificuldades das Expedições Internacionais de Aventuras In-Solo?
Roberto Vaz

Esse tipo de Projeto, que eu classifico como um Projeto, eles tem várias características, uma delas é a pesquisa. A aventura tem um grau de segurança maior quando você investe muito na pesquisa, pois não basta só entrar em um carro, em um barco e sair por aí navegando, rodando. Você tem que saber aonde vai, o momento em que quer estar naquele local e o que deseja encontrar naquele momento. Então, estar em um deserto, numa floresta, em uma geleira, ou em uma grande cidade, envolve saber o que você irá encarar pela frente. Fazer as viagens envolve pesquisas, coragem e muita dedicação, dá trabalho fazer tudo isso!

Portal NetBabillons
O que de melhor aconteceu em suas Expedições Internacionais de Aventuras In-Solo e onde?
Roberto Vaz

Indiscutivelmente o que existe de melhor em você viajar pelo Mundo, pelo Planeta é encontrar pessoas, pessoas diferentes da gente, com hábitos e culturas diferenciadas e aprender com essas pessoas. A geografia do Planeta é o recheio por onde você irá andar, porque o essencial são as pessoas, trocar idéias, trocar informações e viver num aprendizado contínuo de experiências.

Portal NetBabillons
O que de pior aconteceu nessas Expedições Internacionais de Aventuras In-Solo e onde?
Roberto Vaz

Aí nós voltamos as pessoas novamente (risos), o que há de melhor e de pior é sempre relacionado às pessoas, por exemplo eu já fui assaltado, roubado, já tive uma arma apontada na minha cabeça, eu não tenho medo dos perigos que a natureza, que a geografia, que o clima me impõem, mas eu tenho um pouco de receio das pessoas, porque às vezes você encontra pessoas não muito bem intencionadas e é ali que você pode correr sérios riscos.

Portal NetBabillons
Roberto, por que alguns seres humanos têm como objetivo, o inusitado, o desafio, como por exemplo, o que você fez em suas investidas nessas Expedições Internacionais de Aventuras In-Solo?
Roberto Vaz

Eu acho que a questão principal é o que você busca, todos nós temos dentro de nós inquietudes e perguntas profundas que nós queremos responder, então você se aventura no Mundo exterior, no Planeta para descobrir o seu Mundo interior, é ali que está a sua grande busca, saber quem você é, o que você deseja para si não só agora nesse momento, mas no momento futuro, no que está por vir. Tem a adrenalina que faz parte, e uma boa dose de prazer, nada melhor do que aprender e ainda sentir um bom prazer.


Roberto fala da transformação positiva interior que acontece com a pessoa durante o contato intenso com o Meio Ambiente, com a solidão que para ele não é problema, com tudo aquilo que se vê, que se encontra e que se conhece durante uma Expedição.

Portal NetBabillons
Roberto Böell Vaz, o que se pode tirar de lições de vida dessas Expedições Internacionais de Aventuras In-Solo?
Roberto Vaz

A grande lição que eu tiro é que toda vez que viajo, saio um e volto outro, são duas viagens que eu faço, uma por fora visitando vários lugares do Mundo e outra por dentro, na qual acabo me modificando e isso só acontece porque todas as pessoas são aparentemente idênticas, com suas inquietudes e carências as quais buscam as mesmas respostas e a hora que você troca essas experiências com as pessoas você vai aprendendo, são muitas lições. Estar viajando, acima de tudo, é estar aprendendo.

Portal NetBabillons
Quais os requisitos que um Expedicionário de Aventura In-Solo iniciante precisa ter para poder cumprir as suas metas de aventuras e sobrevivência?
Roberto Vaz

Essencialmente a pessoa tem que ter coragem para mudar, porque viajar pelo Mundo, conhecer lugares, encontrar pessoas, se relacionar é mudar, você irá mudar, sem sombra de dúvidas, o seu comportamento. Se você não tem dentro do seu espírito a coragem para encarar as mudanças é melhor você não se aventurar e ficar no cotidiano.
Então, essa para mim é uma das características que precisa se desenvolver, a coragem é uma dessas particularidades. Uma boa capacidade de pesquisa, manter foco, concentração para atingir seus objetivos, é essencial. Para isso você precisa ter um bom condicionamento físico para enfrentar as intempéries que inevitavelmente terá que enfrentar, sempre que você chegar em lugar lindo e maravilhoso, antes disso você terá um desafio gigantesco.

Portal NetBabillons
Quando falamos de Expedições Internacionais de Aventuras In-Solo, estamos falando de altos investimentos, este subsídio vem de Patrocinadores ou são de recursos próprios?
Roberto Vaz

Patrocinador, é parte mais difícil da viagem, mas acontece, quando você é profissional e dá essa visão com o que está desenvolvendo. O Patrocinador para fazer um aporte financeiro em um Projeto seu, ele precisa ter certeza que esse projeto está bem estruturado, de que terá o retorno proposto e no início para todos é sempre preciso colocar a mão no bolso. Precisa gostar daquilo que faz, investir inicialmente e provar que você é capaz de desenvolver o projeto, independente do grau de risco e a partir daí criar um Curriculum onde vai se fixando pouco a pouco nesse mercado que já é forte no Brasil, a exemplo de Amyr Klink, Família Schurmann e outros aventureiros.

Portal NetBabillons
Você além de falar de experiências e do existencial das pessoas e do seu próprio nessas expedições, nas próximas tem intenção de criar um gancho e buscar algo a mais no sentido descobertas, pesquisas até mesmo o lado científico?
Roberto Vaz

Isso já existe em parte, eu comecei um trabalho muito simples catalogando regiões do planeta aonde o aporte turístico, a visita de turistas acontece com mais freqüência e o porquê essas visitas são mais intensas em certos lugares como Chile, Costa Rica e não aqui no Brasil, em algumas regiões que são tão lindas ou até mais maravilhosas. Dentro desse processo surgiu justamente a idéia de fazer uma parceria com o pessoal que trabalha ligado a natureza e realizar pesquisas, porque indo a locais que normalmente as pessoas não vão, eu tenho condições de coletar informações que podem ser interessantes para usar em um banco de análises de uma Universidade ou de um grupo específico de pesquisas. Existe essa proposta que é séria, até porque recentemente me formei na Universidade Federal de Santa Catarina e já conversei com amigos que desenvolvem trabalhos na área da Engenharia Ambiental, eu já desenvolvo trabalho pessoal de defesa do meio ambiente no sentido da reciclagem e não poluição do Meio Ambiente, já estamos trabalhando essa parceria.



O Expedicionário Roberto que já foi de Fusca para os EUA e de Kombi à Europa, diz que para se viajar sozinho em qualquer tipo de transporte precisa-se conhecer muito bem do equipamento, para não se ver em apuros.

Portal NetBabillons
Quanto à manutenção dos Carros que foram usados em suas Expedições Internacionais de Aventuras In-Solo, muita troca de pneus e substituição de peças?
Roberto Vaz

Viajar com equipamento seja ele um carro, um barco, um avião exige que você no mínimo conheça o equipamento que está usando, isso é essencial; a qualquer momento o equipamento pode dar problemas e você tem que fazer ele funcionar novamente. No caso dos carros eu sempre realizei cursos freqüentes para não ser pego desprevenido, por exemplo em meio a um deserto onde não existe assistência técnica para me socorrer e eu mesmo tenha que prestar o socorro. Isso vale não só para o equipamento carro, mas também para o corpo humano que também é um equipamento que você precisa saber cuidar dele e dar a devida manutenção. Não se pode comer qualquer coisa, não se pode beber qualquer coisa, esse é dos problemas que se enfrenta, as pessoas pensam em estar no meio de uma selva e enfrentar uma fera ou em uma geleira e enfrentar a própria natureza, mas às vezes uma dor de barriga, uma dor de dente ou uma infecção intestinal é mais violenta e agressiva, pode até cortar uma expedição, pois eu já tenho experiências de amigos que me disseram que não conseguiram efetivar a viagem porque tiveram que correr para um médico e dali mesmo tiveram que retornar para casa com problemas sérios de intoxicação alimentar, por exemplo.

Portal NetBabillons
Como é ser visto como um Expedicionário Internacional de Aventuras In-Solo, como as pessoas agem perante você?
Roberto Vaz

Essa pergunta ela é interessante, porque quando você me fez, eu me senti orgulhoso em ser Brasileiro. Ser Brasileiro é grande vantagem para quem viaja pelo Mundo, somos muito bem recebidos em qualquer País. O Brasil tem boas relações diplomáticas com a maioria dos Países e a impressão que fica é que as pessoas são sempre muito curiosas para saber o que se passa aqui no Brasil. Analisando, o povo brasileiro é curioso sobre os outros cantos do planeta, mas esses outros cantos do planeta são muito curiosos a respeito do Brasil (risos). Quando você chega em um País novo, em uma cultura nova, a primeira coisa que acontece é chamar a atenção e quando se identifica com o Brasileiro eles querem saber tudo do Brasil, nosso País é muito bem visto no Exterior. Essa troca é a essência da viagem.


Portal NetBabillons
Como fica a sua Família quando há uma Expedição Internacional que oferece algum risco ou mesmo que dure muito tempo?
Roberto Vaz

O importante é você respeitar as individualidades, então as pessoas que estão ao meu lado a maioria já me conhece a muito tempo, então já sabem qual o meu estilo de vida, o que busco na vida e como quero continuar vivendo. É simples, você se relaciona com pessoas que são afins com você, eu não enfrento problemas quanto a isso, as pessoas sabem que me aventuro, mas isso não quer dizer que sou um louco. Todo bom empreendedor de aventuras só faz aventuras muito bem calculadas, isso vale para todos, porque os que não calculam muitas vezes, nem voltam das aventuras.

Portal NetBabillons
Roberto, quais são os seus Projetos para este Ano de 2009?
Roberto Vaz

Eu tenho um projeto classificado como de grau médio, para dirigir ao extremo Sul das Américas, local onde eu ainda não fui - Terra do Fogo, Ushuaia, a Região do Glacial Perito Moreno. Esse projeto poderia acontecer de agora até o verão, provavelmente no verão que o clima é mais ameno e eu estou na procura de Patrocinadores, no sentido de capacitar melhor a viagem, porque eu já tenho alguns Apoiadores e quanto melhor o nível dos Patrocinadores, melhor o fluxo de informações. Olhando pelo ponto de vista plástico de filmagens e fotografias, de dezembro a março são os melhores meses para desvendar os mistérios do Extremo Sul, do ponto de vista técnico a viagem se torna melhor também por você ter um acesso maior as localidades, as pessoas, o clima não é tão agressivo, porque o inverno lá é intenso e as pessoas se entocam, assim como os animais para se protegerem
.

Foto: GMG
Roberto Böell Vaz, um Engenheiro que se aventura pelo Mundo e já passou pelas mais diversas situações de emoções e perigos, já projeta seu próximo roteiro Terra do Fogo, Ushuaia e a Região do Glacial Perito Moreno.

Portal NetBabillons
Roberto quais as cinco coisas que você não esqueceria de levar para uma Expedição Internacional de Aventuras In-Solo?
Roberto Vaz

A primeira delas é coragem, não se pode sair para uma aventura sem coragem misturada com a motivação elevada, a segunda é prudência, o bom senso para saber analisar as condições porque não é de bom tom você arrumar desafios, dos quais não possa encarar. A partir daí os outros elementos são todos de ordem técnica, não posso esquecer do passaporte quando vou a outros países, uma boa dieta alimentar, um excelente condicionamento físico e por último a pesquisa, que é essencial para quem viaja, mapas, roteiros e tem que ter no mínimo uma previsão do que irá encontrar porque normalmente você encontra isso e muito mais aquilo que não previu, então para não ser pego de surpresa quanto mais você desvendar as informações dos lugares, melhor!

Portal NetBabillons
Falando de Tecnologia, você acha que a Tecnologia é imprescindível em suas Expedições Internacionais de Aventuras In-Solo?
Roberto Vaz

A tecnologia nos auxilia muito, mas só que uma viagem capaz de ser feita com o menor número possível de equipamentos tecnológicos ela se torna mais segura, é como a questão máquina, quanto maior número de peças móveis tem uma máquina mais fácil dela quebrar, então quanto mais simples a máquina mais segura. Quanto mais simples a empreitada, mais segura ela se torna, o que significa que não tenha riscos. Os equipamentos que são bem vindos, são: um GPS, um telefone Global Sat, um Notebook, um Iridium que fornece soluções de voz e dados via satélite, mas o importante é você ser capaz de estar em um lugar sem nenhum desses equipamentos e continuar a empreitada. Caso contrário você sempre ficará dependente e dependência não é uma coisa boa.


Acostumado a escalar, velejar a se arriscar pelo Mundo, Roberto cita que um dos quesitos indispensáveis para se aventurar dessa maneira é a "coragem".

Portal NetBabillons
Roberto nessa coisa de mar, mata, montanha, geleiras atravessar de um Continente para outro de carro, a Internet tem sido sua parceira?
Roberto Vaz

Sim, a Internet sempre foi minha parceira, há muito tempo eu trabalho com computadores, eu gosto da informática. A Internet desde e o início eu conheço o sistema, fui um dos primeiros usuários na cidade em que moro e ela me auxilia muito hoje na questão das pesquisas, você tem na Internet um universo de informações onde pode conversar com pessoas, adquirir e trocar informações é um caminho que não tem mais volta, utilizar a Internet é a essência do Mundo futuro.

Portal NetBabillons
Em questão das suas Expedições Internacionais, o que mais mexe com sua emoção, por Terra, por Mar, ou por Ar?
Roberto Vaz

Eu sou um ser da natureza (risos), gosto de todos os elementos. Gosto do ar, prático vôo livre há bastante tempo, gosto do mar, sou velejador desde a minha infância e adolescência e na terra eu adoro fazer caminhadas, alpinismo, trilhas, mas se tivesse que escolher um dos elementos por uma pequena diferença... o mar é o que mais me atrai, eu gosto muito do vazio do mar, que é muito sereno, não tenho problema nenhum de me relacionar comigo mesmo e com a minha solidão, o mar é uma grande paixão que tenho há mais tempo do que eu possa imaginar.

Portal NetBabillons
Roberto o fato de você ser Engenheiro, ajudou em suas Expedições Internacionais de Aventuras In-Solo?
Roberto Vaz

Sim, o curso de Engenharia de Produção Civil dá uma capacidade técnica de você administrar situações que pedem raciocínio técnico e lógico, o que também me ajuda muito ser formado em Licenciatura em Educação Física, na área de humanas, preparo físico, cuidados com a saúde, com o corpo, me relacionar com outras pessoas, ser capaz de aplicar alguns conhecimentos da área humana juntamente com a área técnica para atingir o melhor objetivo.

Portal NetBabillons
Roberto, qual o lugar mais marcante por onde já passou?
Roberto Vaz

Sobre o lugar mais marcante, foram vários, posso citar: o Deserto de Atacama, no lugar chamado Vale da Lua, fica perto da cidade de San Pedro de Atacama, no norte do Chile, a paisagem é realmente fantástica e muito me chamou a atenção o grande "vazio" que é aquela região, e mesmo assim lá está a presença humana.
Outro lugar que também me chamou muito a atenção foi a cratera do Vulcão "Poas" localizado na região central da Costa Rica, amplitude sentir todo o poder das forças da natureza, é uma coisa incrível! Um Vulcão é sempre um colosso, algo poderoso mesmo.
Tem mais um lugar um especial, cruzando nossa imensa "Selva Amazônica", também fiquei estupefato com o tamanho daquela floresta, entre Boa Vista e Manaus, rodando pela BR-174 , observei que o planeta é muito mais do que pensamos, somos parte deste grande sistema ecológico que é a vida na Crosta Terrestre. As árvores gigantes, os animais, os rios e toda aquela beleza selvagem é linda e ao mesmo tempo assustadora.
Acho que estes três são os mais fantásticos lugares onde estive.

Portal NetBabillons
Fale sobre suas emoções e as impressões que mais marcaram suas aventuras até hoje?
Roberto Vaz

Toda saída para um novo projeto sempre faz meu coração bater mais forte, a expectativa de "cair" na estrada me faz pensar nas coisas que irei enfrentar, os perigos, os encontros, as aventuras e desaventuras que todo Aventureiro In Solo passa. Estar viajando, cruzando fronteiras, visitando novos lugares, conhecendo novas pessoas, é algo incrível, quase inexplicável, é como turbinar a vida, voar ao invés de andar e estes momentos ficam gravados para sempre. Os desertos e selvas por onde passei, as pessoas que conheci, os picos, as cidades e os perigos que enfrentei, tudo é parte da mesma caminhada, hoje ao me lembrar de todos estes momentos fico muito feliz e ao mesmo tempo saudoso de tantos momentos únicos que passei a bordo de meu Fusca, minha Kombi ou meu Barco.
Tudo me leva a viajar! É
lá que me sinto eu mesmo, dono do meu destino, senhor das minhas escolhas. Adoro fazer aquilo que faço e poder repartir o conhecimento com as outras pessoas que também desfrutam desta paixão.


Perguntado se é possível fazer amizades por onde passa, Roberto Böell Vaz se diz "expert" e afirma: "Hoje tenho amizades no Mundo inteiro, eu me relaciono e me comunico com as pessoas via internet, isso porque começou nas cartas."

Portal NetBabillons
Nessas trajetórias de Expedições Internacionais de Aventuras In-Solo, você fez algumas Amizades? Ou isso nem chega acontecer?
Roberto Vaz

Eu acho que sou um expert em fazer amizades! (risos) Hoje tenho amizades no Mundo inteiro, eu me relaciono e me comunico com as pessoas via internet, isso porque começou nas cartas. Eu conheço pessoas na China, na África, na Europa, nas Américas, na Austrália essas pessoas vivem perguntando informações e me cedendo informações, então é uma via de mão dupla.

Por tal NetBabillons
O Projeto Barquinho de Papel que é seu, teve qual importância e qual foi a sua intenção?
Roberto Vaz

O Barquinho de Papel que é navegável, ele surgiu inicialmente de uma pequena brincadeira que é fruto daqueles sonhos de infância que a gente tem e acabou criando um volume, que nem eu mesmo esperava. Hoje ele é carro chefe de todo um Projeto de defesa do Meio Ambiente, de desenvolvimento sustentável, reciclagem, não poluição e ele é a representação das minhas maiores paixões, que é o mar. Ele me traz sempre uma emoção muito grande, apesar de que a cada novo barco é uma nova aventura, porque depois eles se desfazem no mar (risos).

Portal NetBabillons
Essas experiências de suas Expedições Internacionais, lhe trouxeram muito know-how de motivação até mesmo para gerar roteiro de Palestras?
Como acontecem as palestras e os seus Livros?
Roberto Vaz

As pessoas com as quais me relaciono elas são muito curiosas de saber por que eu sou assim, quando comecei a perceber essa curiosidade alheia, me veio justamente essa idéia de transmitir a informação inicialmente com Livros, já tenho dois publicados, a partir daí exposições fotográficas, bate-papos e como você comentou Palestras, na grande maioria motivacionais ou na área de metas e objetivos que são feitas com públicos diversos desde estudantes até empresários, pessoas que tem como trazer para suas vidas algo de positivo, quando eu falo da minha própria experiência.
O mundo empresarial tende, hoje, em buscar as informações onde elas estiverem, principalmente as respostas daquilo que desejam. O mundo nunca foi tão dinâmico quanto ele é nos dias de hoje, em um mundo de comércio globalizado, de fronteiras que estão caindo aos poucos, uma pessoa na China, por exemplo, pode ter interesse imenso no que eu desenvolvo aqui em Santa Catarina por causa de uma necessidade de atingir o mercado, a globalização puxou tudo isso. Ela já existe há muito tempo, as primeiras grandes expedições de 1.500 já era sinal de globalização, mas diferentemente de hoje que ela acontece numa velocidade que nós nem imaginamos. Uma pessoa entra na internet fecha um negócio, paga, dali a algumas semana chega na casa dela o produto que pode ter vindo de qualquer parte do mundo.

Portal NetBabillons
Roberto é verdade que você está abrindo um Sistema de Palestra para toda a América Latina?
Roberto Vaz

O interessante é você não criar fronteiras que são sempre limites, quem tem limites vai chegar só aonde imagina. Eu, como gosto de imaginar coisas fantásticas não faço nem idéia de onde posso chegar, então o importante é acreditar. As Palestras vão sair e quem acredita chega a lugares que nem imagina, eu pretendo Palestrar por todo o Brasil como já venho ministrando e fora do Brasil, se possível, do outro lado do planeta.

Roberto Vaz
Considerações finais.
Eu quero agradecer a vocês pela oportunidade de divulgar o meu trabalho e dizer que não importa o que você deseja da vida, o importante é acreditar naquilo que você quer, ter confiança em si mesmo e empregar muita ação, porque a vida é feita de atitude, um sonho sem ação é ilusão, não te leva a lugar nenhum, apenas uma lembrança imaginária das coisas. A partir do momento que você transforma um sonho em algo prático, palpável, atingível você tem uma história que é prática e uma prática vale mais do que mil teorias, o importante é sermos práticos e corrermos atrás dos nossos sonhos para realizá-los.


Após entrevista Eros e Roberto sentaram-se no topo do morro rochoso da Praia de Ubatuba em São Francisco do Sul-SC onde realizou-se a entrevista para apreciarem o final de tarde.

 


Contato com Roberto Böell Vaz:
Email: turbovaz@hotmail.com

VEJA MAIS...


Portal NetBabillons, 14 de Julho de 2009.



Página inicial
Volta ao índice.

HOMENAGEADO