Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Abertura

Oriente e Ocidente se Encontram no Festival de Humor no Recife

As discussões em torno das diferenças e semelhanças entre as artes gráficas do mundo ocidental e do mundo islâmico devem pautar boa parte dos debates promovidos pela edição 2006 do Festival Internacional de Humor e Quadrinhos de Pernambuco (FIHQ). Promovida pela Secretaria de Educação e Cultura e pela Fundarpe, a edição 2006 do evento traz ao Recife o consagrado ilustrador norte-americano Peter Kuper e o editor kuaitiano Naif Al-Mutawa.
O Observatório Cultural Malakoff, no Recife Antigo, irá abrigar as principais atividades do evento, que começa no dia 5 de junho, estendendo-se por três semanas. Além dos debates, a programação inclui ainda exposições, palestras e oficinas. O Salão de Humor do FIHQ-2006 irá premiar os melhores trabalhos em cinco categorias. Artistas gráficos profissionais e amadores já podem inscrever seus trabalhos por meio do site www.acape.gov.br/fihq2006
O júri do Salão de Humor será presidido por Peter Kuper, que terá uma mostra do seu trabalho na Sala Alcir Lacerda, principal espaço da Malakoff. Desenhista da tira Spy vs. Spy, publicada na Revista Mad, Kuper é autor de inúmeras adaptações literárias, com destaque para as versões em quadrinhos da obra do escritor Franz Kafka, incluindo Metamorfose, recentemente lançado no Brasil. O trabalho do artista, que vive em Nova Iorque, aparece regularmente em publicações de referência como a revistas Time, Newsweek e os jornais Washington Post e New York Times.
O outro convidado internacional do FIHQ 2006 é o kuaitiano Naif Al-Mutawa, que desenvolve uma série de super-heróis de quadrinhos cujos poderes têm origem nos 99 atributos de Alá. Para criar " The 99", Al-Mutawa misturou arquétipos do islamismo e da cultura árabe com as fórmulas e os visuais típicos das HQs norte-americanas. Naif Al-Mutawa, que é psicólogo, foi vencedor do Prêmio de Literatura Infantil da Unesco em 1997.
O Festival conta ainda com alguns dos principais representantes das artes gráficas brasileiras, incluindo veteranos como Nani, autor da tira Vereda Tropical, e Gualberto Costa - o Gual, da dupla Jal e Gual - um dos fundadores da Associação dos Cartunistas do Brasil e criador do troféu HQ Mix, o principal prêmio dos quadrinhos brasileiros. A ilustração infantil também terá seu espaço, com a presença de Ângela Lago e Mário Vale. O mangá, gênero de quadrinhos japonês, será representado por Érika Awano e Marcelo Cassaro.
Já o gaúcho Fábio Zimbres traz o universo underground e dos quadrinhos de vanguarda. O FIHQ-2006 terá ainda a presença de Kleber Sales, ilustrador do Correio Brasiliense, que estará ministrando uma oficina de caricaturas.
Maior número de categorias é uma das novidades do Salão
O salão traz mudanças nas categorias e no valor dos prêmios. Este ano, a categoria Ilustração Editorial se junta as já existentes: Caricatura, Cartum, Charge e História em Quadrinhos. Cada trabalho vencedor receberá um prêmio de R$ 4 mil. Outra novidade é que só serão aceitos trabalhos digitalizados, com exceção das charges e das ilustrações editoriais, que necessitam de comprovação de que foram publicadas.
O regulamento do Salão e o formulário de inscrição estão disponíveis no site www.acape.org.br/fihq2006. Dentre os trabalhos inscritos serão selecionados aqueles que integrarão a Mostra Internacional do Salão, que ocupará uma das salas do Observatório Cultural Malakoff. A exposição ficará em cartaz durante todo o período do FIHQ, entre os dias 5 e 26 de junho. Este ano, pela primeira vez na história do evento, será editado um catálogo com todos os trabalhos selecionados. A cada edição, o Salão de Humor do FIHQ recebe uma média de 400 trabalhos inscritos de 20 diferentes países. Em 2005, foram selecionados 150 trabalhos para a Mostra Internacional.
Fonte: Governo de Pernambuco
11/04/2006



Página de aberturaÍndice de notícias.

Índice do Canal