Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Abertura

Diversidade da tradição pernambucana marca a programação do 16º Festival de Inverno de Garanhuns

A abertura da 16ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) será realizada no próximo dia 20 de julho, com uma noite em homenagem à cultura popular. Mestre Salustiano fará as honras da festa, tecendo loas para o frevo, a ciranda, o coco, o maracatu, o aboio e o repente. A diversidade da tradição pernambucana é também o mote que permeia a grade de programação do Festival, divulgada nesta segunda-feira (26), no Teatro Arraial. O FIG, que este ano acontece de 20 a 29 de julho, é uma realização do Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Educação e Cultura/Fundarpe, e da Prefeitura Municipal de Garanhuns.
Por mais um ano, a Praça Guadalajara será o maior e mais democrático pólo do FIG. Há lugar para todos os gêneros e estilos. Elba Ramalho, Nando Reis, Nação Zumbi, Vanessa da Mata, Osvaldo Montenegro, Magníficos, Los Hermanos, Maria Rita e Barão Vermelho são alguns dos nomes que ali irão reunir mais de 30 mil pessoas a cada noite. No Parque Euclides Dourado, por entre os eucaliptos, música pop, dança, circo, forró e ritmos latinos. Este ano, a tenda de circo, que durante a tarde faz a alegria da família inteira, à noite irá transformar-se em pista de dança para as Noites Cubanas, novidade testada com sucesso na última edição do evento. Este ano, o Festival também inaugura a Mostra de Cinema do FIG. Serão quatro sessões diárias, durante sete dias, com entrada gratuita, ocupando uma das salas do Cine Eldorado. No auditório do Hotel Tavares Correia, o Círculo de Leituras promove uma programação dedicada à literatura, com debates e lançamentos.
Na grade musical do FIG, o Palco Pop cumpre novamente a função de vitrine para bandas independentes. Por lá passarão atrações locais e nacionais, dentre elas: Maciel Salu e o Terno de Terreiro, Ortinho, Planta e Raiz (SP) e a brasiliense Bois de Gerião. Nos dias 23 e 24, a programação é assinada pela turnê MTV Bandas Novas. Nestes dias, a emissora fará a cobertura integral do Palco Pop. Por entre as árvores do Parque Ruber Van der Linden, ou simplesmente Pau Pombo, o Palco Instrumental é garantia de boa música: todos os dias, sempre às 18h, nomes como Duofel, BPM Trio e Heraldo do Monte. Pouco depois, na Igreja de Santo Antônio, o Virtuosi na Serra promove apresentações de música erudita, com instrumentistas nacionais e internacionais. Mais tarde, à meia-noite, o Palco do Forró esquenta a madrugada com o pé-de-serra de gente da estirpe de Azulão, Hebert Lucena e João do Pife. Pela manhã, a partir das 10h, a vez é da Cultura Popular. O palco montado na Avenida Santo Antônio será território de figuras como Mestre Salustiano, Lia de Itamaracá e Selma do Coco.
A programação teatral do 16º FIG ocupa o Teatro Luís Souto Dourado com encenações de Recife, Caruaru, Garanhuns, Rio de Janeiro, João Pessoa e Fortaleza, num total de 14 espetáculos. A abertura e o encerramento contam com peças aclamadas pela crítica. Única com duas sessões agendadas, Fazendo Ana Paz, da produtora carioca Ciranda de 3, transpõe o livro homônimo de Lygia Bojunga para o palco, abordando a dramaticidade do ato de escrever e o relacionamento, às vezes bem difícil, entre autor e personagem. Enaltecida por sua simplicidade e coesão na interpretação das três atrizes em cena – Adriana Maia, Dadá Maia e Tereza Seiblitz – a montagem conta com supervisão de Xando Graça e faz um tocante mergulho no ato da criação. No encerramento, a opção é uma das mais aclamadas realizações do teatro nacional, Vau da Sarapalha, do Teatro Piollin (PB), com direção de Luiz Carlos Vasconcelos.
Os espetáculos de dança, no Parque Euclides Dourado, devem continuar atraindo o público mais fiel do festival. Este ano a programação reúne atrações de oito municípios do nosso Estado, além de convidados de São Paulo, Minas Gerais e Cuba. A proposta é apostar na diversidade de estilos com representantes da dança clássica, do ventre, de salão, de rua, popular, afro, moderna e contemporânea. Três elogiadas duplas estarão presentes: o pernambucano Marcelo Pereira, hoje radicado na Suíça, em pas-de-deux com a paulista Duda Braz; o cubano Luís Rubén González e a pernambucana Juliana Siqueira, resgatando o clássico “Dom Quixote”; e Rogério Alves e Adriana Bandeira, considerados os melhores dançarinos de salão do Estado. Em dança contemporânea, o premiado Balé de Rio Preto, do interior paulista, vai mostrar o espetáculo Infinitos Particulares, abordando os sentimentos que permeiam os relacionamentos.
No quesito artes visuais, o 16º FIG promove a mostra Intervenções Urbanas, na qual seis artistas pernambucanos irão criar instalações em pontos-chaves da cidade de Garanhuns. Manoel Veiga, Paulo Meira, Oriana Duarte, Lourival Batista, Cristina Machado e Renata Pinheiro têm por missão explorar a estrutura urbana local. No Parque Euclides Dourado há ainda o Mercado das Artes e o Pólo de Recreação – compras e distração para as crianças no lugar certo. O 16º FIG também oferece um variado cardápio de Oficinas Culturais. Este ano serão 23 oficinas abrangendo diversas áreas artísticas. As inscrições estão abertas até o dia 07 de julho e ainda restam algumas vagas. Os interessados devem procurar a Fundarpe (tel. 3134.3077), no Recife; a Biblioteca Pública do Parque Euclides Dourado (tel. 3762.7064) ou o CAIC/Bairro Indiano (tel. 3762.7065), em Garanhuns.
Fonte: Governo de Pernambuco
26/06/2006

 

Página de aberturaÍndice de notícias.

Índice do Canal