Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Abertura

Biblioteca Pública encerra comemorações dos 250 anos de Mozart

A Biblioteca Pública do Paraná vai encerrar as comemorações dos 250 anos de nascimento do austríaco Wolfgang Amadeus Mozart com uma série de atividades culturais. Na data em que se festeja o Dia da Música, nesta quarta-feira (22), Hélio Germiniani fará palestra sobre o compositor, com projeção de trechos de concertos e óperas, a partir das 15h, no Auditório Paul Garfunkel. Em seguida, às 16h, haverá recital comemorativo. No mesmo dia, Hélio e Clotilde Germiniani abrem a exposição “Mozart – sinfonia de um gênio”. A mostra fica em cartaz até o próximo dia 2.
Na quinta-feira (23), às 15h, no auditório, será exibido o filme “Nunca é tarde para amar”, com Libertad Lamarque e Roberto Cañedo. É uma história romântica que traz o comportamento e os valores da época. O filme mexicano, de Tito Davison, mostra o reencontro de Marisa com Cláudio, seu grande amor, após 10 anos de separação. Cláudio, médico idealista dedicado aos estudos da poliomielite, renunciou ao amor de Marisa, célebre cantora, por ter sofrido grande frustração na profissão. A exibição do filme marca os 98 anos de nascimento de Libertad Lamarque.
No sábado (25), mais música. As musicistas Cristiane Serkes, Daniele Franco e Karina Ferrer apresentarão “Da eterna procura”. As homenagens serão encerradas com a exibição de “Amadeus”, na segunda-feira (28), às 15h, no Auditório Paul Garfunkel. O filme, com Tom Hulce, F. Murray Abraham, Elizabeth Berridge, Simon Callow, Roy Dotrice, Christine Ebersole e Heffrey Jones, é baseado em sucesso teatral de Peter Shaffer. Esta biografia de Mozart, inventa uma rivalidade (em sua maior parte fictícia) entre o compositor contemporâneo Salieri. Não esconde as vulgaridades e limitações do homem Amadeus, mas, também, deixa claro seu brilhantismo com o artista.
Genialidade - O gênio austríaco, Wolfgang Amadeus Mozart, nasceu em Salzsburg em 1756 e foi um fenômeno durante toda sua vida. Aos três anos já conseguia tirar melodias do cravo, e chorava quando alguém tocava alto demais ou de forma muito discordante. Aos quatro anos tocava violino e cravo de forma tão fluente quanto uma criança com o triplo de sua idade e de tempo de estudos musicais. Aos cinco, Mozart já compunha minuetos e outras peças pequenas, porém, todo este poder criativo e musical não era visto por seu pai apenas com alegria, mas também com muito medo e alarme.
O pai de Mozart não tinha a menor idéia de como e o que mais poderia ensinar ao filho, porque ele não gastava mais do que 30 minutos para solucionar os problemas mais complexos que o pai lhe oferecia. Vaidoso, o pai de Mozart estremecia diante de tal genialidade, porém, não deixou de tirar dela tudo o que pode. “Aproveitou” todo o poder criativo de seu filho para adquirir pequena fortuna. Levava-o para as casas aristocráticas e principescas e fazia-o executar alguns jogos musicais. O que fez com que Mozart passasse a maior parte de sua infância e adolescência viajando. Mesmo tendo uma vida totalmente movimentada, aos 12 anos Mozart já era compositor de altíssima qualidade, seus “métodos” de composição, no entanto, eram diferentes.
Força criadora - Por ter tido vida cheia de viagens, Mozart criou uma maneira de compor só sua: primeiro criava a música em sua cabeça, até em seus menores detalhes, enquanto fazia outras coisas como jogar bilhar, ensinar piano etc. Depois, logo que tinha a oportunidade de sentar-se em frente a uma partitura em branco, escrevia a música que trazia em sua cabeça com tal fervor e rapidez que não houve quem não tivesse ficado impressionado com tamanha força criadora.
Escrevia a música como se estivesse apenas copiando uma partitura que já sabia de cor. Esta infância atribulada, porém, teve forte influência sobre sua personalidade. Alegre e encantador, Mozart ficava à vontade logo após ser apresentado a alguém, entretanto, achava muito difícil formar amizades mais duradouras e profundas. Sua infância o tornara um homem superficial em suas relações.
Mozart levou esta maneira leviana de viver até a sua idade adulta, pois mesmo casado e pai de família, mudava-se continuamente (chegou a mudar-se 9 vezes em um ano), era também absolutamente incapaz de controlar sua vida financeira. Foi “ciceroneado” até os 30 anos por seu pai, quando este veio a falecer.
Casado com Constanza, a qual era tão imprudente com relação ao dinheiro quanto o próprio Mozart, passou a viver atolado em dívidas e sob condições de extrema pobreza.
Dificuldades - Nos últimos anos de sua vida, apesar de terem sido extremamente ricos no que se refere a criação musical, sofreu muitíssimo com a falta de recursos. Mozart, a respeito de sua criação musical, sempre se viu como um grande compositor de óperas. Suas criações operísticas como Don Giovanni, Flauta Mágica e outras eram suas obras favoritas.
Entre as obras de Mozart estão 41 sinfonias; 27 concertos para piano; cinco concertos para violino; quatro concertos para trompas; um concerto para flauta; um para oboé; um para clarineta; um para fagote; uma sinfonia concertante para violino, viola e orquestra; sinfonia concertante para quatro instrumentos de sopro e orquestra; um concerto para dois pianos; um concerto para três pianos; um concerto para flauta e harpa; concertone para dois violinos; 17 divertimentos, treze serenatas, mais de cem minuetos, gavotas, marchas e outras peças para dança, freqüentemente agrupadas em conjuntos de seis.
Serviço:
Palestra sobre Mozart
Data: 22 de novembro
Horário: 15h
Local: Auditório Paul Garfunkel da Biblioteca Pública do Paraná – Rua
Cândido Lopes, 133

Música na Biblioteca: Mozart – 25 - anos: recital comemorativo
Data: 22 de novembro
Horário: 16h
Local: Auditório Paul Garfunkel

Exposição: Mozart – Sinfonia de um gênio
Data: 22 de novembro a 2 de dezembro
Local: Hall térreo da Biblioteca Pública do Paraná

Cinema na Biblioteca: Nunca é tarde para amar
Data: 23 de novembro
Horário: 15h
Local: Auditório Paul Garfunkel da Biblioteca Pública do Paraná

Música na Biblioteca: “Da eterna procura”
Data: 25 de novembro
Horário: 11h
Local: Auditório Paul Garfunkel

Cinema na Biblioteca: Amadeus
Data: 28 de novembro
Horário: 15h
Local: Auditório Paul Garfunkel
Fonte: Governo do Estado do Paraná
20/11/2006

 

Página de aberturaÍndice de notícias.

Índice do Canal