Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Abertura

Rigotto sanciona lei que declara Ospa patrimônio histórico e cultural do RS

O governador Germano Rigotto sancionou, na tarde desta quarta-feira (20), a lei que declara a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Ospa), fundada há 56 anos, como bem integrante do patrimônio histórico e cultural do Rio Grande do Sul. O projeto de lei, aprovado por unanimidade pela Assembléia Legislativa, foi apresentado pela deputada Jussara Cony, que agradeceu ao governador pelo pronto atendimento ao pedido de que a lei fosse sancionada o mais breve possível. "É um reconhecimento de Estado à importância da Ospa, construído coletivamente por pessoas envolvidas com a cultura e consolidado pelo governador", afirmou. A deputada também ressaltou o comprometimento de Rigotto, durante seu governo, com todas as questões que dizem respeito à promoção da cultura.
Ivo Nesralla, presidente da Fundação Ospa (Fospa), se disse igualmente agradecido ao governador pelo apoio dado à Orquestra nesses quatro anos, como o demonstrado com o esforço para que se completasse o quadro de músicos. Quando Rigotto assumiu, havia pouco mais de 40 integrantes. Por decisão do atual governo, o número foi aumentado para 90 músicos e deverá chegar a 112, como em orquestras sinfônicas internacionais, para que seja possível a execução de 100% das obras sinfônicas disponíveis. Em dezembro do ano passado, o governador sancionou a lei que criou o Quadro de Professores da Fundação, formado por 114 cargos, desde professor regente assistente até professor de trombone, preenchidos por meio de concurso público. "A Ospa age como corpo único, e cada um faz a sua parte para que ela seja uma orquestra grandiosa", disse Nesralla.
Símbolo
Reconhecer legalmente a Ospa como patrimônio histórico, para o governador, é a concretização definitiva da Orquestra como símbolo da cultura do Rio Grande do Sul. Rigotto disse que a Ospa é um orgulho para os gaúchos e que a partir de agora, com a vigência da nova lei, torna-se mais fácil a obtenção de recursos para beneficiá-la, inclusive de origem federal, por intermédio de mecanismos de incentivo à cultura. A lei foi sancionada no mesmo dia em que a Orquestra faz o concerto da quarta edição do Natal na Praça, em palco montado em frente à Catedral Metropolitana de Porto Alegre, com regência do maestro Manfredo Schmiedt e participação de 300 cantores dos corais da Ospa, Assembléia Legislativa, do Tribunal de Justiça, Ministério Público, da Cúria Metropolitana, Igreja Adventista, do Banrisul, Pão dos Pobres e Tribunal de Contas do Estado.
Estiveram presentes também no ato de sanção da lei o diretor-superintendente da Fospa, Ubirá Tadeu Leal, a presidente da Fundação Theatro São Pedro, Eva Sopher, o presidente da Fundação Pablos Komlós, Luís Osvaldo Leite, o presidente da Fundação dos Funcionários da Fospa, Evandro Matte, os maestros Túlio Belardi e Manfredo Schmiedt, o inspetor da Ospa, Fábio Kraemer, a assistente de direção artística, Marli Dossin, o arquiteto Ismael Sollé (responsável pelo projeto do novo teatro da Orquestra) e a assessora de imprensa da Fospa, Balala Campos.
Fonte: Governo do Estado do Rio Grande do Sul
20/12/2006

 

Página de aberturaÍndice de notícias.

Índice do Canal