Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Abertura

Estréia no Teatro Guaíra a ópera O Rigoletto, obra-prima de Verdi

A ópera O Rigoletto, obra-prima do compositor italiano Giuseppe Verdi, estréia nesta sexta-feira, no auditório Bento Munhoz da Rocha Netto (Guairão) do Teatro Guaíra. A temporada durará 6 dias e vai até dia 10 de maio (quinta-feira). A ópera volta ao Guairão depois de 15 anos. Ela foi encenada pela última vez, em Curitiba, em 1992. O Rigoletto terá duas horas e meia de duração, com a distribuição do programa da obra ao público.
A atual produção é resultado do trabalho conjunto entre o Centro Cultural do Teatro Guaíra e o Conservatório di Adria, da Itália. O Rigoletto será encenado com 15 solistas, 8 bailarinos, 30 cantores de coro e 12 figurantes. Participam também do espetáculo a Orquestra Sinfônica do Paraná e integrantes do coral Nova Philarmonia e o coro formado pelo Teatro Guaíra.
A direção cênica ficou a cargo do italiano Maurizio di Mattia e a direção musical da Orquestra Sinfônica do Parará pelo seu regente titular desde 2002, o maestro Alessandro Sangiorgi. Os cenários foram feitos pelo uruguaio Carlos Kur, que trabalha desde 1975 no Teatro Guaíra em diversas óperas e balés e os figurinos confeccionados por Paulo Maia.
Nos papéis de solistas foram escalados brasileiros e italianos para se alternarem. Os artistas italianos estão ensaiando a cerca de quinze dias a peça no Brasil. Alguns deles participaram das montagens feitas no Guaíra de La bohème, de Puccini, La Serva Padrona, de Pergolesi e Don Giovanni, de Mozart. “Como os cantores não podem se apresentar diariamente, a cada dia será feito o revezamento entre eles”, explica Lu Rufalco, Diretora Artística do Teatro Guaíra.
Os 15 solistas que vão se revezar nos papéis principais são: no papel de Rigoletto, Douglas Hahn e Rodolfo Giuliani. Para representar Gilda, filha de Rigoletto, Tatiana Aguiar e Kalinka Damiani. O Duque de Mantova será representado por Miguel Geraldi e Eduardo Maldonado; Sparafucile por Bruno Spadoni e Alexandre Trovon; e Maddalena, por Ariadne Oliveira. Giuliani e Trovon também se revezam no papel de Monterone. Borsa é o papel de Ricardo Castro e Marullo de Divonei Scorzato. Silmara Campos é Giovanna, Marcia Kaiser é Contessa di Ceprano, Paulo Barato é Conte di Ceprano, e Renata interpreta Bueno Paggio. O pianista co-repetidor é Thiago Teixeira.
A Sinfônica do Paraná contará com a orquestra completa para as apresentações: instrumentos de cordas formados por 1º e 2º violinos, viola, cello e contrabaixo. Os de sopro por flauta, oboé, fagote e clarinete. Mais trompas, trombones, trompetes, tímpanos e percussão. “Um espetáculo desse porte, com balé, coro e orquestra, sempre tem lotação completa no Guaíra”, afirma Orlando Pinheiro, Inspetor da Orquestra e Coordenador do Coro.
História - O Rigoletto faz parte da segunda fase da criação artística de Verdi, em que, já consagrado na Italia, produz as obras que lhe trouxeram fama mundial. Além de Rigoletto são dessa fase O Trovador e La Traviata. A ópera estreou em Veneza no ano de 1851, com o nome de La Maledizione (A maldição). Baseada no texto Le roi s\'amuse \"O rei se diverte\" de Vitor Hugo, era originalmente ambientada na França e mostrava o rei francês como libertino. Devido aos problemas com a censura austríaca (que dominava Veneza na época) a história foi transferida para a Itália antiga, com os nomes de seus personagens mudados.
No enredo o Duque de Mantova seduz Gilda, filha do seu disforme bobo da corte, Rigoletto, esse contrata um assassino para se vingar da desonra imposta pelo chefe. Com essa obra Verdi tornou-se um dos precursores do realismo italiano. O personagem principal, Rigoletto, mesmo sendo um apoiador da devassidão e libertinagem da corte acaba sofrendo a sedução da sua própria filha. Mais tarde o próprio Verdi decidiu pela mudança de nome da ópera para o de seu principal personagem.
Serviço:
Ópera Rigoletto, no auditório Bento Munhoz da Rocha Netto(Guairão), dias 4, 5, 6, 8, 9 e 10, às 20h, e dia 6 às 18h.
Ingressos: venda antecipada - R$ 30,00 (platéia); R$ 20,00 (1.º balcão) e R$ 10,00 (2.º balcão) ; venda no dia: R$ 40,00 (platéia); R$ R$ 30,00 (1.º balcão) e R$ 20,00 (2.º balcão).
Desconto de 50% para portadores do Cartão Teatro Guaíra e da Carteirinha de Professor.
Fonte: Governo do Estado do Paraná
03/05/2007


Página de aberturaÍndice de notícias.

Índice do Canal