Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Abertura

11º Festival de Cinema Judaico de São Paulo

Mostras competitiva e temáticas estão na programação do evento Salas da capital paulistana estão abrigando esta semana o Festival de Cinema Judaico de São Paulo, que traz uma mostra de 42 filmes, dentre obras de ficção e documentários. Em sua 11ª edição, o evento homenageia o cineasta Eytan Fox, que nasceu nos Estados Unidos da América, mas se mudou com a família, ainda pequeno, para Israel. A iniciativa - que conta com o apoio do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet - começou na terça-feira, 7 de agosto, e prossegue até domingo, dia 12. Eytan Fox está no Brasil para receber a homenagem e lançar seu mais recente longa-metragem, Bubble (A Bolha), premiado no último Festival de Berlim. O filme narra a história de três jovens israelenses (dois rapazes e uma garota), que moram juntos em Tel Aviv e decidem ajudar um palestino - por quem um dos rapazes se apaixona - a ficar ilegalmente no país. Também será exibido um compacto dos episódios de uma série televisiva dirigida por Fox - Florentene, que traça um retrato da nova cultura urbana do país e é um dos mais populares programas de TV em Israel. Para fomentar o debate dos principais temas da realidade judaica da atualidade, o evento, além de ter uma mostra competitiva, conta com sessões de documentários e exibições temáticas, como as séries Memória, que registra a vivência judaica de um ponto de vista histórico; Panorama/Israel, um painel da produção cinematográfica contemporânea; e Música, uma exibição de clássicos. Dentre algumas das películas do festival estão Quem foi Kafka, de Richard Dindo; Da Bessarábia a entre rios, de Pedro Banchik; Por um dos meus olhos, de Avi Mograbi; A Última Lua, de Miguel Littín; West bank story, de Ari Sandel; e Ira e abby – quando o divórcio é uma comédia, de Robert Cary. Confira a programação. O filmes são exibidos em cinco salas de cinema de São Paulo, sendo duas na Hebraica (Rua Hungria, nº 1.000), no Centro de Cultura Judaica (Rua Oscar Freire, nº 2.500), no Cinesesc (Rua Augusta, nº 2.075) e na Livraria Cultura (Conjunto Nacional, Av. Paulista, nº 2.073). Em uma sala da Hebraica e no Cinesesc, os ingressos custam R$ 7 e R$ 3,50. Nos outros locais a entrada é gratuita, com exceção do Centro da Cultura Judaica, que o ingresso é 1 kg de alimento não-perecível. Informações: (11) 3818-8888, na Associação Brasileira A Hebraica de São Paulo. Mostra Itinerante - Após o festival na capital paulista, ainda no mês de agosto, a mostra segue para o Rio de Janeiro e Porto Alegre, respectivamente entre os dias 16 e 23, no Espaço Unibanco, e dias 18 e 20, na Associação Médica do Rio Grande do Sul. Informações: (21) 2236-4367, na Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro (Fierj), e (51) 3311-0822, na Naamat Pioneiras.
Fonte:Comunicação Social/MinC (Maíra Guedes)
10/08/2007

 

Página de aberturaÍndice de notícias.

Índice do Canal