Fale conosco, e-mail, telefone e endereço.
Abertura

É preciso assumir a diversidade cultural brasileira como patrimônio, diz Juca Ferreira

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, disse hoje (10) que é preciso assumir a diversidade cultural brasileira como um patrimônio do país.
A afirmação foi feita durante a assinatura do acordo de cooperação técnica e lançamento do edital de seleção pública para bolsas de estudo em pós-graduação, em nível de mestrado, entre os Ministérios da Cultura e da Educação.
“Isso [assumir a diversidade cultural] implica numa relação de bens e serviços para todas as áreas da cultura. A cultura e a educação tem interfaces muito fortes nesse sentido."
O presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Jorge Guimarães, explicou que esta é a primeira iniciativa do acordo de cooperação técnica com o Ministério da Cultura. “O programa responde a uma necessidade do país. Até 2002 a Capes tinha um programa de bolsas no exterior, entretanto as chances destes profissionais voltarem era remota, em função disso, perdemos muitos artistas. A idéia é aproveitarmos os artistas dentro do país.”
O programa pretende ampliar o acesso à produção científica no Brasil promovendo novos estudos em pesquisas no campo da cultura e na formação de recursos humanos de alto nível para o setor.
O gerente de Estudos e Pesquisas do Ministério da Cultura, Pablo Martins, disse que a finalidade é estimular as pesquisas em cultura primeiramente na área de mestrado e depois em nível de doutorado. “A idéia é trabalhar a multidisciplinaridade da cultura.
A cultura é um tema que pode ser estudada por diversas área, não só pelo antropólogo, o sociólogo, mas podemos estudar, por exemplo, a economia da cultura.” O edital destina-se a instituições públicas e privadas brasileiras de ensino superior ou instituições ligadas ao campo artístico-cultural como museus e grupos culturais. Os interessados podem inscrever os projetos até 31 de março de 2009.
Serão investidos R$ 1,8 milhões nos 16 projetos selecionados. Para cada um será disponibilizado até R$ 110 mil por ano, totalizando o valor máximo de R$ 220 mil por biênio. Na quantia estão incluídas três bolsas, para cada projeto, no valor R$ 1,2 mil, além da verba para custeio de ações como exposições, shows ou eventos que integrem o projeto. (Lisiane Wandscheer)
Fonte: Agência Brasil.
10/11/2008


Página de aberturaÍndice de notícias.

Índice do Canal